Categoria: Notícias

Confira todas as datas da Copa Mackenzie Metropolitana 2018

As datas da primeira fase da Copa Mackenzie Metropolitana já foram marcadas. Anota aí na agenda que a bola já está quase rolando no melhor campeonato de futebol society de São Paulo!

A primeira fase será disputada nos dias 04, 05, 11, 12, 18 e 19 de agosto. Já o 32 avos ficará para os dias 25 e 26 de agosto. A segunda fase do mata-mata (16 avos) será no dia 1 de setembro e as oitavas de final no dia 8.

As equipes que chegarem às quartas de final jogarão no dia 15 de setembro. A semifinal será realizada no final de semana seguinte, no dia 23. Já a grande final e disputa de 3º lugar está marcada para o dia 30 de setembro.

Local

Local do evento: Arena WS – Av. Marquês de São Vicente, 2477 – Portão 1 (Estacionamento Nacional A.C) – Barra Funda, São Paulo

Será que sua equipe vai chegar até a final? Deixe sua opinião nos comentários!

Conheça os times cabeças de chave dos grupos 21 ao 24

Grupo 21 – Escola Pinheiro

A equipe está chegando para sua terceira participação na Copa Mackenzie Metropolitana. No ano passado, a Escola Pinheiro chegou ao 16 avos de final, eliminada peco Colégio Guilherme Dummont Villares.

Ao longo do campeonato, o time marcou 27 gols e 5 jogos, com média de 5,4 por partida. Foram 4 vitórias e 1 derrota, em 2018.

Grupo 22 – Nova Cachoeirinha

A equipe do Nova Cachoeirinha está em sua segunda participação na Copa, noa ano passado foi eliminada pelo terceiro colocado, Colégio Tancredo Neves, no 16 avos de final, por 4 a 1.

A equipe balançou as redes 17 vezes em 5 jogos, com média de 3,4 por partida. A eliminação foi a única derrota da escola no campeonato.

Grupo 23 – Vicentino Virgem Poderosa

A equipe estrou em 2016 e chegou até os 16 avos de final, eliminado pela Escola Estadual Professora Antonieta Borges Alves, por 2 a 1. Já no ano passado, o colégio foi parado na primeira fase eliminatória, perdendo de 1 a 0 para o Elvira Linares.

Em 4 jogos, o time marcou apenas 7 gols, com média de 1,7 por partida. Apesar do número pequeno de gols, a equipe foi eficiente e conquistou 4 vitórias e apenas uma derrota.

Grupo 24 – Canadá

Essa é a terceira participação da equipe, que em 2016 se manteve invicta na primeira fase, com direito a goleada de 8 a 0, em cima do Colégio Tiête. Mas chegando na segunda, perdeu para a Escola Estadual Augusto Ribeiro, por 1 a 0, e saiu da competição.

Em 2018, a equipe foi eliminada na mesma fase, desta vez pelo Colégio Star Max, por 2 a 0. Mas na temporada, a equipe teve boa média de gols. Em 4 jogos marcou 19 gols, com média de 4,7 por partida.

Vem ver quem são os primeiros times dos grupos 17 ao 20

Grupo 17 – Escola Estadual Tenente Ariston

Em 2016, a equipe foi invicta na primeira fase, mas nas quartas de final foi derrotada pelo Colégio Progresso, atual campeão, por 3 a 2. Já no ano passado chegou até o 16 avos de final, eliminado pelo Colégio Magno, por 2 a 1. Em mais um ano, a equipe chega como cabeça de chave para disputar a Copa Mackenzie Metropolitana.

Na temporada passada, em 4 vitórias e 1 derrota, a equipe marcou 18 gols, com média de 3,6 por partida.

Grupo 18 – Escola Estadual João Solimeo

O time conseguiu bons resultados em 2016, mas perdeu para o Colégio Fênix, por 4 a 1, já na fase eliminatória. Já em 2017, a equipe também chegou à fase eliminatória, até o 16 avos de final, mas foi foi eliminada pelo colégio Bandeirantes por 3 a 1.

Na temporada, a participação da Escola João Solimeo foi marcada por muitas goleadas. Ao todo foram 31, com a incrível média de 6,2, em 4 vitórias e 1 derrota.

Grupo 19 – Colégio Fênix Santa Paula

Em 2016 a escola fez uma boa campanha e levou o terceiro lugar do torneio, depois de disputá-lo com o Colégio Internacional Torricelli. Já no ano passado, em uma disputa de pênaltis incrível, a equipe acabou ficando no 16 avos de final, perdendo para o Colégio Anglo Morumbi por 1 (11) a 1 (12).

Na última temporada, a equipe marcou 17 gols, com média de 3,4, em 5 partidas disputadas. O Fênix somou 1 empate, 3 vitórias e 1 derrota.

Grupo 20 – Colégio Santa Maria

A equipe estreou na competição em 2017 e vem para seu segundo ano de competição. Na temporada passada, a equipe chegou ao 16 avos de final, eliminada pelo Colégio Heitor Garcia por 3 a 1.

Ao longo da competição, a equipe marcou 23 gols, com 1 empate, 3 vitórias e 1 derrota. Em 5 jogos disputados, a média foi alta, de 4,6 gols por partida.

Relembre a trajetória dos cabeças de chave dos grupos 13 ao 16

Grupo 13 – Colégio Dourado

A equipe está chegando para sua terceira participação! Em 2016, o Colégio Dourado foi  invicto na fase grupos, porém acabou eliminada pelo Colégio Manoel da Nóbrega por 3 a 0, na primeira rodada eliminatória.

Já no ano passado, o time chegou ao 16 avos de final, eliminado nos pênaltis por 1 (1) a 1 (3), pelo Colégio Santa Cruz. Ao todo foram 4 vitórias e 1 derrota. Em 5 jogos, marcou 17 gols, com média de 3,4.

Grupo 14 – Colégio Samarah

O Colégio Samarah vem para sua segunda participação da Copa Mackenzie Metropolitana. Na temporada passada a equipe chegou até o 16 avos de final, perdendo para a Escola Estadual Condessa Filomena Matarazzo, por 5 a 1.

Apesar do resultado, a escola teve boa média, com 4 vitórias e 1 derrota ao longo da competição. O time balançou as redes 16 vezes e teve média de 3,2 gols por partida.

Grupo 15 – Colégio Souza e Almeida

O Colégio Souza e Almeida também foi bem em sua primeira participação na Copa. A equipe fez 16 gols em 5 jogos, com média de 3 gols em 1 empate, 1 derrota e 3 vitórias.

A escola foi eliminada pela Escola Estadual Antonieta Borges Alves no 16 avos de final, por 5 a 1.

Grupo 16 – Colégio Marconi

A escola vem para sua quarta participação na competição e, em 2016, fez uma campanha estável e protagonizou uma das maiores goleadas do campeonato, 14 a 0 sob o Colégio Notre Dame.

Nas duas primeiras participações, acabou eliminado nos pênaltis na etapa do “mata-mata” – ano passado para o Colégio Internacional Torricelli por 1 (2) a 1 (3), e em 2015 para o Colégio da Polícia Militar, por 2 (3) a 2 (2). Já na temporada passada perdeu no 16 avos de final para o vice-campeão, Escola Estadual Presidente Kennedy, por 6 a 2.

Veja o retrospecto dos primeiros times dos grupos 9 ao 12

Grupo 9 – Colégio Elvira Linares

Em 2017, a equipe chegou às oitavas de final da Copa Mackenzie Metropolitana, eliminada pela Escola Estadual Carmelinda Marques Pereira.

Em 6 jogos, o time somou 2 empates, 3 vitórias e 1 derrota. Balançou as redes 28 vezes, com média de 4,6 gols. Em mais um ano, a equipe já garantiu sua vaga e vem para a disputa.

Grupo 10 – Escola Estadual Condessa Filomena Matarazzo

Em sua estreia no campeonato, a equipe conseguiu chegar às oitavas de final, eliminada pelo atual campeão, Colégio Amorim. O time levou um mascote que roubou a cena, o panda Filomito, que deu sorte!

Foram 5 vitórias e apenas uma derrota na temporada. A equipe marcou 34 gols, uma média de 5,6 por jogo.

Grupo 11 – Colégio São João Gualberto

Em 2016, o time fez uma campanha irregular, mas chegou a vencer com goleadas. No 32 avos de final, acabou eliminado nos pênaltis para a Escola Estadual João Solimeu.

Já em 2017, o colégio chegou mais longe. Foi eliminado pela Escola Estadual Antonieta Borges Alves, nas oitavas. Ao longo da temporada, a equipe marcou 27 gols em 6 partidas, com média de 4,5.

Grupo 12 – Escola Estadual São João Evangelista

A equipe estreou em 2017 na competição e já se destacou. A escola chegou aos 26 avos de final, mas acabou eliminada pela Escola Estadual Carmelinda Marques Pereira.

Apesar de não ter chego à final, a equipe manteve bom número de gols. Em 5 partidas, balançaram as redes 15 vezes, com média de 3 por jogo.

Conheças as equipes cabeças de chave dos grupos 5 ao 8

Grupo 5 – Escola Estadual Carmelinda Marques Pereira

Essa é a terceira participação da equipe na Copa Mackenzie Metropolitana. A equipe foi eliminada duas vezes pelo Colégio Tancredo Neves. Em 2016 no 32 avos de final e, em 2017, nas quartas.

Mais uma vez a escola se inscreveu e deve dar trabalho aos adversários. Na temporada passada, a equipe marcou 18 gols e finalizou o campeonato, uma média de 2,5 gols por partida.

Grupo 6 – Colégio Santa Cruz

Também eliminado nas quartas de final da competição em 2017, o colégio entrou mais um ano para a disputa para tentar ir mais longe. No ano passado, a equipe conseguiu eliminar o Colégio Bandeirantes nos pênaltis, nas oitavas de final, mas foi parado pelo Instituto de Ensino São Francisco de Assis.

A equipe balançou as redes por 12 vezes na temporada, com média de 1,7 gols por partida.

Grupo 7 – Anglo Morumbi

Participando de todas as edições da Copa Mackenzie Metropolitana, em 2017 o Anglo Morumbi chegou às quartas de final. Porém, a equipe foi eliminada pela Escola Estadual Presidente Kennedy, vice campeã da temporada.

A equipe marcou 36 gols e fechou a competição com a incrível média de 5,1 gols por partida.

Grupo 8 – Colégio Bandeirantes

Em sua estréia na Copa Mackenzie Metropolitana, o Colégio Bandeirantes deu muuto trabalho aos adversários. A equipe chegou até às oitavas de final, eliminado pelo Colégio Santa Cruz, nos pênaltis.

Com a média alta de 3 gols por partida, o time marcou 18 gols no campeonato.

Amorim, Tancredo, IESFA e ABA: Os quatro melhores colocados de 2017

A comissão organizadora da Copa Mackenzie Metropolitana já selecionou as equipes que serão cabeças de chave da fase de grupos da 4ª edição do campeonato. Como critério, foram escolhidos os colégios melhores classificados em 2017 para serem os primeiros de cada grupo.

Grupo 1 – Colégio Amorim

O atual campeão da Copa Mackenzie Metropolitana é o primeiro escolhido do grupo 1.  O colégio já é bicampeão da competição (2015 e 2017) e promete apresentar seu bom futebol em mais um ano.

Na temporada passada, a equipe foi a que mais balançou as redes no campeonato. Ao todo foram 51, com média de 5,6 gols por partida. Sua maior goleada foi 12 a 2 na fase eliminatória sobre o Sesi 081, de Suzano. A equipe também ficou com a artilharia, com 17 gols marcados por Guilherme Borges.

Grupo 2 – Colégio Tancredo Neves

Já o grupo 2 começa com o Colégio Tancredo Neves, o terceiro colocado da temporada passada. Em três participações, a equipe chegou em uma final e duas semifinais, sempre apresentando muito perigo aos adversários.

Em 2017, o time permaneceu invicto na fase de grupos. No mata-mata mantiveram o bom rendimento, porém, foram parados pelo vice-campeão, Escola Estadual Presidente Kennedy, na semifinal. Na disputa pelo terceiro lugar, goleou o Instituto São Francisco de Assis, por 3 a 0. Em todo o campeonato, a equipe marcou 41 gols, com média de 4,5 por partida.

Grupo 3 – Instituto de Ensino São Francisco de Assis

Após três participações na Copa Mackenzie Metropolitana, o Instituto de Ensino São Francisco de Assis chegou pela primeira vez na semifinal em 2017 e será o primeiro time do grupo 3 em 2018.

O time teve bom rendimento, marcando ao todo 31 gols em 7 partidas, come média de 4,4. O time só foi parado pelo campeão Colégio Amorim na semifinal e acabou perdendo a disputa pelo terceiro lugar, contra o Colégio Tancredo Neves.

Grupo 4 – Antonieta Borges Alves

Em suas duas participações no campeonato, a Escola Estadual Antonieta Borges apresentou perigo aos adversários e chegou às quartas de final.

No ano passado, o time foi eliminado pelo Amorim nos pênaltis, após um jogaço. Apesar do resultado, a equipe foi a quarta melhor na classificação geral da competição, sendo cabeça de chave do grupo 4.

Conheça os times cabeças de chave da fase de grupos da Copa Mackenzie Metropolitana

De acordo com os colégios melhores classificados em 2017, a comissão organizadora da Copa Mackenzie Metropolitana já selecionou as equipes que serão cabeças de chave da fase de grupos da 4ª edição do campeonato.

O grande campeão, Colégio Amorim, já está no grupo 1. Os outros times das chaves serão definidos por meio de um sorteio durante o congresso técnico da competição, no dia 24 de julho, às 18h, no auditório da Universidade Presbiteriana Mackenzie do Higienópolis, localizado na zona oeste de São Paulo.

Confira a lista completa:

  1.  Amorim
  2.  Tancredo Neves
  3.  Instituto de Ensino São Francisco de Assis
  4.  Antonieta Borges Alves
  5.  Carmelinda Marques Pereira
  6.  Santa Cruz
  7.  Anglo Morumbi
  8. Bandeirantes
  9.   Elvira Linares
  10.  Condessa Filomena Matarazzo
  11.  São joão Gualberto
  12.  São João Evangelista
  13.  Dourado
  14.  Samarah
  15.  Souza e Almeida
  16.  Marconi
  17.  Tenente Ariston
  18. João Solimeo
  19.  Fênix Santa Paula
  20.  Santa Maria
  21.  Escola Pinheiro
  22.  Nova Cachoeirinha
  23.  Vicentino Virgem Poderosa
  24.  Canadá
  25.  Soter
  26.  Odila Leite dos Santos
  27.  Etec Irmã Agostina
  28.  Escola Paulista
  29.  Boni Consilii
  30.  Jardim Moraes Prado II
  31.  Linneu Prestes
  32.  Paschoal Dantas

Relembre como foi a preparação do Colégio Amorim e da Escola Presidente Kennedy para a final de 2017

Antes da grande final da Copa Mackenzie Metropolitana 2017, o Colégio Amorim já estava confiante para brigar pelo bicampeonato. “Todo mundo vai querer ganhar a final, eu espero que os garotos (do Kennedy) possam mostrar o seu melhor porque a gente vai se dedicar ao máximo”, afirmou o treinador Alessandro Vasconcelos. A equipe aproveitou para deixar um recado para o seu adversário: “para ganhar do Amorim tem que ter time”, afirmou o jogador Matheus Louzano.

Relembre:

A Escola Estadual Presidente Kennedy também chegou bem preparada para a final e bateu de frente com a equipe do Tatuapé. Os jogadores não deixaram barato o recado do Amorim e avisaram que iriam dar trabalho, em especial para a zaga: “Vocês não vão parar o trio MAK, Matheus, André e Kaian, tem que ter muita zaga e muito peito pra bater de frente com o nosso time”.

Assista:

Evair fala sobre a influência da Copa Mackenzie Metropolitana

Em entrevista para a Copa Mackenzie Metropolitana, Evair, um dos maiores camisas 9 de todos os tempos, falou sobre a importância da Copa para os jovens.

Para o craque campeonatos como esse ajudam os jovens a distinguir o certo do errado. “Momentos de competições faz com que você cresça como cidadão, como competidor, você aprende os seus limites, você sai das ruas e vai competir. Você dá lugar a coisas que realmente importam na vida”, completou.

Confira a entrevista completa: